Ajuda dos leitores sobre questões jurídicas.

Já foram mais de 3.000 visualizações do blog e várias pessoas passaram por aqui para ler os problemas que venho enfrentando. Li em outros blogs relatos de pelos menos 5 pessoas que falaram que, após lerem meu blog, havia desistido de adquirir um JAC.

Então, agora eu peço a quem lê o blog para me ajudar no que fazer.
Simplesmente vender o carro está fora de cogitação, seria uma perde absurda de dinheiro e no momento isso não é possível.

Eu tenho todos os papéis dos atendimentos e eles provam que o carro já teve inúmeros defeito desde que comprei. Pensei em entrar na justiça, mas eu não poderia entrar no JEC por causa do valor, teria que ser na justiça comum. Quanto tempo levaria mais ou menos até o fim do caso? É uma causa com alta probabilidade de vitória ou pode ser que eu perca? Neste caso eu pediria 100% do valor do carro (corrigido) e mais danos.

Outra opção que existe é a de um carro novo. Eu confesso que procurei e não encontrei nenhuma outra pessoa passando pelos problemas que eu estou passando. É uma opção que me deixa muito desconfiado, mas ela existe e eu preciso considerar isso (caso seja a única).

Alguém mais tem alguma ideia? Alguma sugestão do que possa ser feito contra a Jac Motors?

Uma bomba relógio que custou caro.

Eu, honestamente, não imaginei que fosse voltar tão cedo para escrever sobre um problema tão sério no carro. Mas este carro é uma bomba relógio e sempre pode surpreender mais.

Sexta-feira, dia 01/11/2013, eu estava indo para aula quando comecei a ouvir um barulho absurdo. Parecia que o pneu havia furado e já estava rodando direto no metal. Esse foi o meu primeiro pensamento.

Parei como pude e desci para ver o que era. Não era o pneu. Nisso, um senhor que vinha passando me mostrou uma faixa de óleo que o carro havia deixado na rua.

Como eu estava em um lugar bem ruim, resolvi que ia tentar pelo menos andar mais um pouco para parar no posto mais próximo. Voltei para o carro, liguei, engatei a marcha e… o carro não andava. Pisava no acelerador, o motor respondia mais o carro não andava. Como eu estava em uma decida, resolvi tentar descer em ponto morto e ver se conseguia chegar pelo menos até o posto. Não deu e o carro parou em um lugar um pouco melhor, mas ainda bastante ruim e perigoso.

Fui até onde deu e chamei o guincho. Não pude levar o carro direto para a assistência, então tive que trazê-lo para casa e só poderei enviar o carro amanhã.

A única coisa que eu descobri foi que o óleo não era do motor, e sim da caixa de marcha/transmissão (não me lembro o nome exatamente, e também não entendo nada disso). O engraçado é que na revisão dos 10.000km a caixa de transmissão foi trocada, conforme consta na nota de atendimento. Se isso é fruto de um trabalho mau feito, um novo defeito ou outra coisa, não sei, o que importa é que o carro está indo pela 2ª vez em menos de 13.000km de guincho para a concessionária.

Este carro é uma bomba relógio. Eu, honestamente, não quero mais arriscar. E quando for a barra da direção, freios, air-bag que falhar? Por enquanto minha vida não correu risco, mas eu não vou pagar para ver.

Seguem as fotos que provam o que se passou na sexta (as fotos estão um pouco tremidas pois não havia nenhuma outra fonte de luz no local):

ImagemImagemImagemImagem