O fundo do poço.

Hoje meu J2 chegou no fundo do poço.

Hoje a embreagem quebrou. Simples assim. Desde domingo eu vinha sentindo dificuldade de trocar as marchas. Estava bem difícil de engatar a primeira marcha e a ré fazia um barulho (como se algo tivesse arranhando quando engatava). Às vezes era difícil engatar as marchas, mas não impossível. Como estou em semana de provas finais, não podia ficar um dia sequer sem o carro. Precisava dele pra me deslocar da casa pro trabalho, do trabalho pra aula e da aula pra casa. Saio de casa lá pelas 08:00 da manhã e volto perto das 23:30. Simplesmente não podia ficar sem carro essa semana. Mas… não deu…

Cheguei hoje no meu local de trabalho e… pronto. Foi até onde ele pôde ir. Lá, dentro do estacionamento ele travou. Era impossível engatar uma marcha sequer.

O que fazer? Chamar o guincho. Foi tão bacana ver o carro sendo guinchado no meio do estacionamento do local onde trabalho.

Só um causo: enquanto eu aguardava o guincho sentado num meio fio, um senhor passou por mim e tivemos esta rápida conversa:

Senhor: “Esse carro é teu?”

Eu: “É, sim.”

Senhor: “E aí? O que tá achando? Tô pensando em comprar um…”

Eu: “Sendo bem sincero com o senhor: foge!  Nem considera. Sério. Tô aqui sentado esperando o guincho pra levar o carro pra concessionária pela 5ª vez (nem fiz as contas pra ver se era isso mesmo) em menos de 6 meses.”

Minha resposta foi tão sincera que o senhor apenas balançou a cabeça e seguiu caminhando. Juro que tive essa conversa. Até parece que foi o destino que resolveu pregar uma brincadeira ou ser irônico. Não sei, mas eu acho que fiz minha boa ação do dia.

Seguem as fotos do ponto mais baixo da existência deste carro.

WP_20130717_001 WP_20130717_002 WP_20130717_003 WP_20130717_004 WP_20130717_005 WP_20130717_006 WP_20130717_007

Na boa? Nem brabo eu fico mais. O desânimo é tanto que eu só espero receber meu carro logo pra poder usar até dar o próximo problema. Na real é isso: eu uso o carro enquanto espero pelo próximo problema.

Eu me sinto dirigindo uma bomba relógio. A única coisa que torço é que os problemas do carro nunca aconteçam em uma situação que coloque em risco a minha vida e a de outros. Só isso.

Anúncios

7 comentários sobre “O fundo do poço.

  1. Achei positiva sua decisão de criar o blog e relatar os problemas, porém, quando comprou um carro chinês você esperava oque? Sinceramente, reclamar dos problemas após ter comprado algo sem qualidade, sem procedência e sem estética! Não há muito oque reclamar!

    • Se não servir pra mais nada, que sirva pra que mais ninguém cometa o mesmo erro que eu cometi.

      Só me permita discordar do “sem estética”. Eu honestamente acho o carro bonito. Beleza é subjetiva.

      O resto eu concordo: me dei mal, mas só o que me resta é reclamar, então, que seja assim.

  2. Amigo, parabéns pela iniciativa em relatar. Imagino o que se passa na sua cabeça (documentar tudo para que possa servir para, no mínimo, alertar os consumidores). Sou proprietário de um CARRO usado (ano 99). É um carro de fim de semana. Não vou entrar em detalhes, mas vou resumir da seguinte maneira: não uso o carro pra trabalhar e nem pra estudar, portanto minha realidade é diferente da sua nesse aspecto. Em 1 ano e meio, já gastei uma boa grana com manutenção (preventiva na maioria das vezes, mas também corretiva em um número menor de vezes). Todavia, e apenas a título de comparação, o que eu paguei no carro e somando todas as manutenções, ainda não deu a soma do que custa um J2 0km. Nesse período (1 ano e meio), fiquei na mão 1 vez: o carro começou a aquecer e decidi pará-lo para chamar o guincho.

    A minha ideia sobre “usado vs. 0km” é essa: no momento que eu precisasse de um MEIO DE TRANSPORTE para o dia-a-dia, eu optaria pelo MEIO DE TRANSPORTE 0km mais resistente e econômico possível com um mínimo de conforto que eu pudesse achar, abrindo mão de gosto pessoal (escolher marca/modelo/cor/mimos). Mas como a minha situação me permite (moro perto de trabalho/faculdade e não uso o carro para esses trajetos), eu optei por comprar um CARRO. Se me permite opinar, julgo que, diante das suas necessidades, você precise de um MEIO DE TRANSPORTE 0km confiável (por isso não vou te recomendar comprar um CARRO usado ou um MEIO DE TRANSPORTE usado) e acabou arriscando uma escolha que se mostrou ruim.

    Saiba que no nosso mercado automotivo, por cultura brasileira de não fazer manutenção preventiva, associada à Lei de Gerson, grande parte das pessoas, inclusive com menos paciência do que você está tendo, passam carros para frente no primeiro problema, para se livrarem de uma eventual (ou comprovada) “bomba”. É assim que as coisas funcionam, infelizmente. Eu não sei se seria hipócrita em criticar isso ou te recomendar passar o J2 pra frente, já que se fosse EU que estivesse passando por isso tudo, diante da necessidade de um MEIO DE TRANSPORTE confiável, EU já teria entregue esse J2 em alguma garagem (leia-se: loja de carros usados), mesmo tendo prejuízo na hora da revenda. Na minha concepção é INACEITÁVEL que um bem de 30 mil reais (arredondei, nem sei quanto está valendo) e em estado de novo (na teoria) possa dar tanto problema e tantas vezes, acontecendo exatamente o que você já relatou: o carro passa a não ser confiável (pra quê ter o carro então?!).

    Por fim, espero que, de uma forma ou de outra, você consiga tranquilidade para desempenhar suas tarefas do dia-a-dia (trabalhar, estudar, lazer com namorada/amigos, etc). Um abraço.

  3. Amigo eu também já passei por algo parecido com um Honda Civic que comprei 0 Km em 2008, foi necessário substituir o cabeçote com + ou – 6.000 Km rodados, aos 15.000 Km deu problema na embreagem, foi necessário trocar o atuador da embreagm, depois com + ou – 29.000 Km o mesmo problema do atuador da embreagem, por fim com + ou – 45.000 Km o atuador da embreagem começou a fazer novamente o barulho e não hesitei passei a bomba para concessionária concorrente e comprei outro carro.
    Mas retornando ao J2, todo carro está sujeito a problemas, pelo visto seu carro deve ter um problema muito sério de fábrica, vamos torcer para que dessa vez a concessionária consiga resolver de fato.

  4. Cara, eu comprei um JAC (J3) foi o maior arrependimento da minha vida, em relação a carro, o carro eh um lixo.. todo solto, molenga, muitoooo trabalho e muitaaa dor de cabeça… a parte elétrica do meu era toda sambada e os vidros, como do seu, pararam de funcionar do nada! Fora que meu carro, quando vendi, o medidor de combustivel nao funcionava, tinha que passar pela ridicula situacao de anotar quanto eu colocava de gasolina e fica fazendo conta, SERIO!!! kkkkkk
    Fechei meu primeiro e ultimo contato com a JAC quando entreguei meu carro com 23mil km por 20 mil reais na consecionaria..

    QUer um conselho, leva esse carro pra porta da loja e toca fogo, la dentro, eu tinha que ter feito isso…

    Hj eu comprei um C3 e estou amando, carro lindo, confortavel, confiavel e o atendimento outro nivel..

    Nao sofra, ainda que vc perca dinheiro, fica livre desse lixo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s